Porque não dá para ignorar a Nova Economia na China?

O que você sabe/se encanta sobre a Nova Economia da China? Segue alguns itens, válidos de menção

china

Ricardo Geromel é fundador do San Francisco Deltas e sócio da StartSe

5 de julho de 2018

Sempre fui um grande curioso e, sobretudo, um grande questionador. Desde a adolescência, escutava meu irmão me chamar de jornalista. Ele jogava futebol em Portugal e eu fazia faculdade nos Estados Unidos. Na “semana do saco cheio” (a tal da Spring Break) eu o visitava. No caminho do aeroporto para casa, ele já me sacaneava: “e aí, Rico, quem você entrevistou no avião?”.

Sou assim desde quando me lembro. Tenho o hábito de interagir com as pessoas para tentar aprender com o que move o coração delas. Se eu te conhecer, provavelmente vou te fazer várias perguntas. Espero que dê liga e que você me ensine sobre o que te excita. Aliás, o que mais amo na vida é aprender. A maioria das decisões mais importantes da minha vida tomei após responder esta pergunta: aonde vou aprender e crescer mais rápido? Foi por causa desta pergunta que eu trabalhei em 5 continentes. Viajar, sair da zona de conforto, sempre ganhou de goleada de todas as outras opções.

Falando em goleada, perdemos de 7×1 da Alemanha e doeu demais! Eu estava lá e confesso que até chorei. Bom, estamos perdendo de 90×2 para a China no número de unicórnios! E a maioria de nós parece nem ter percebido que estamos ficando para trás. Em 2018, o Brasil e o mundo começou a abrir os olhos para a cena de startups da China! Enquanto Trump reforça sua política externa “America First”, as autoridades chinesas vão na contramão, exigindo que suas empresas se internacionalizem! 2018 é o ano da China no Brasil!

Se você tem ambições globais, é impossível ignorar a China…

…que é o lar de cerca de 20% da população mundial. Além da maior população do mundo, a China também começa a se destacar como o maior polo de inovação global, até mesmo a frente do Vale do Silício, em algumas áreas como Inteligência Artificial, fintechs, e-commerce e varejo.

Lembra da origem questionadora? Queria te perguntar sobre a China. O que você sabe/se encanta sobre a Nova Economia da China? Segue alguns itens, válidos de menção:

  • O futuro do varejo já começou na China, onde mais é vendido online em um dia do que é vendido no Brasil no ano inteiro! O Single’s Day (11/11), criado pelo Alibaba, arrecadou US$ 25.4 bilhões. Nos EUA, a Cyber Monday atingiu um novo recorde de US$ 6,59 bilhões em vendas, tornando-se o maior dia de vendas online do país. Em comparação, a Black Friday e o Dia de Ação de Graças trouxeram US$ 5,03 bilhões e US$ 2,87 bilhões em receita, respectivamente. Os três somados são inferiores a um dia de vendas de e-commerce na China.
  • A China é líder mundial em fintechs e de longe o maior mercado de pagamentos digitais, representando quase metade do total global. No setor de empréstimos on-line, o país ocupa três quartos do mercado global. Ant Financial é a fintech com maior valor no país, estimada em US$ 60 bilhões. A empresa opera várias marcas e produtos, incluindo a principal plataforma de pagamentos online da China, o omnipresente Alipay.
  • A recente extinção da “one-child policy”, onde cada família só podia ter um filho, irá gerar um crescimento espetacular tanto na educação quanto em saúde nos próximos anos.  O sistema educacional primário e secundário na China é o maior do mundo: mais de 230 milhões de estudantes e 12 milhões de professores. Apenas em 2015, o governo chinês investiu cerca de US$ 1,07 bilhão em acordos de financiamento em edtechs.
  • Apenas Baidu, Tencent, Alibaba e Xiaomi (BATX) já valem mais de US$ 1 trilhão e lançaram mais de 1 mil negócios em mais de 20 setores nos últimos 10 anos.
  • O governo atua de maneira agressiva e estratégica para posicionar a China na liderança mundial em tecnologia de ponta até 2030, especialmente em Inteligência Artificial. Em julho, o governo revelou um plano para desenvolver as capacidades de IA de 2020 a 2025 e liderar o mundo em 2030.
  • Segundo um relatório divulgado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, há 705 milhões de “netizens” (pessoas conectadas à internet na China) – mais do que o dobro de cidadãos nos EUA, a maior economia do mundo. O país tem quase o triplo da quantidade de usuários de Internet dos Estados Unidos, que registra 242 milhões de usuários ativos.
  • O governo chinês é o maior VC no mundo. Em 2015, a China arrecadou US$ 231 bilhões em venture capital e os fundiu para 780 fundos em todo o país, de acordo com o Zero2IPO. O montante é superior ao montante levantado por qualquer outro VC no mundo.
  • Frente ao cenário promissor do país, quase 15% da população adulta na China está engajada de alguma forma com empreendedorismo e 11% desse grupo já gerencia um negócio estabelecido. Em 2015, 12% dos universitários formados da Universidade de Pequim abriram ou trabalharam em startups. Em 2005, esse número era apenas 4%.
  • Pequim, a cidade chinesa que ocupa a quarta posição do ranking mundial de startups, possui mais de 7 mil startups e é terceiro maior ecossistema do mundo.
  • Empresas de apenas uma cidade da China, Shenzhen, classificam mais patentes internacionais do que aa França ou a Grã-Bretanha. Shenzen era um vilarejo de pescadores 30 anos atrás.
  • Na China, há uma cultura de trabalho em startups chamada 9/9/6. Isso significa que as horas normais de trabalho para a maioria dos funcionários são das 9h às 21h, seis dias por semana.
  • Este ano comemora-se 40 anos da abertura do mercado na China e muitos programas para incentivar empresas internacionais a entrarem na China já foram anunciados.
  • De 2014 a 2016, os fundos de Venture Capital investiram US$ 77 bilhões em startups chinesas, seis vezes mais do que nos três anos anteriores.
  • A China tem um grande potencial quando se fala em agropecuária: o país é o maior produtor de arroz e carne de porco do mundo e está entre os 3 maiores produtores de leite, frango e carne bovina. Agrotech está bombando por lá! A China está unindo tecnologia à agricultura, a fim de aumentar a produtividade e a eficiência.
  • Quantos unicórnios chineses você conhece? 58 Daojia, ANT Financial, APUS Group, BAIC BJEV, BeiBei, Beijing Weiying, Best Logistics, BGI, Cheyipai, DJI, Douyu TV, Dt Dream, Ele.me, FangDD, Fanli, Fenqile, Firstp2p, FXiaoKe, Guazi.com, Home Link (Lianjia), Huimin, Hujiang, Huochebang, iCarbonX, Iwjw, JD Finance, Jiedaibao, Jiuxian.com, Koubei, Koudai, Kuaishou, Lakala Lamabang, Lashou, LeCloud, LeSports, Liepin, Lufax, LY, Maoyan, Megvii, Meicai, Meituan-Dianping, Meizu, Mia.com, Miaopai, Mobike, Mofang Gongyu, Mogujie, NetEase Cloud Music, New Dada, Ninebot, NIO, Ofo, Panshi, Pinduoduo, Ping An Good Doctor, Qiniu, SouChe, Taobao Movie, To8to, Toutiao, Trendy International Group, Tuandaiwang, Tujia, U51, Ubtech, United Imaging Healthcare, UrWork, Uxin, VANCL, VIPKID, Wanda, WeDoctor (Guahao), Wifi Skeleton Key, Womai, Xiaohongshu, Xiaomi, Xiaozhu, YH Global, Yidao Yongche, Yidian Zixun, Yiguo, Yinlong, Yitu, Yuanfudao, Yunmanman, Zhihu ou Zhubajie.

Quer saber mais sobre o assunto?

Isso é só um pouco do que a “Nova China” representa. Conhecer o país – e a forma como os negócios são construídos por lá – é vital para a competitividade das grandes empresas brasileiras. A StartSe traz para o Brasil o China Day Conference, maior evento sobre a China já feito no país. Para saber mais detalhes, acesse o site oficial do programa.

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store


Compartilhe:
Classifique: