Receita da App Store é 2 vezes maior que a do Google Play em 2017

Mesmo com o aumento do uso de android nos mercados emergentes, empresa de Jobs ainda lidera o mercado global de apps

Elena Costa é repórter da StartSe.

9 de janeiro de 2018

Mercado global de apps creceu cerca de 35% em 2017 alcançando próximo de US$ 60 bilhões. Dado foi levantado pelo relatório da Sensor Tower, firma de app intelligence, que realizou pesquisa que mediu o número de apps pagos, assinaturas e compras em apps tanto da Apple como do Google Play.

O relatório mostrou que a Apple cresceu 34.7% e a Google Play 34.2% em relação a 2016. Em termos financeiros, a Apple de US$ 28,6 bilhões foi para US$ 38,5 bilhões e o Google Play de US$ 15 bilhões foi para US$ 20,1 bilhões. Juntas elas faturaram um total de US$ 58,7 bilhões no ano passado.

Os dados levantados pela Sensor Tower estão alinhados com os da Apple. A empresa afirmou haver um recorde na época de festas na App Store com mais de US$ 1 bilhão em receita e ressaltou que os desenvolvedores do IOS receberam US$ 26,5 bilhões no ano passado- crescimento de 30% perante 2016.

Receba o melhor do nosso conteúdo para te ajudar

O Sensor também observou que em relação a downloads a Google Play cresceu 16,7%, enquanto a Apple cresceu apenas 6,7%. Essa diferença é justificada no relatório pelo aumento do uso mobile em mercados emergentes como China e Índia, que possuem uma taxa de adoção de android maior que de iOS.

Além disso, o relatório mostrou que global first-time app installs cresceu para 91,5 bilhões em 2017, um aumento de 13,5% em relação a 2016. Por fim, o relatório também tratou sobre os apps de games mostrando que a receita desta categoria aumentou 30% ano após anos – cerca de US$ 48,3 bilhões. E que o Google Play lidera com 27,2 bilhões (77%) de downloads dos 35,5 bilhões estimados pelo relatório.

A forma como fazemos negócios está mudando. Mas o que vimos até aqui foi só a ponta do iceberg. Você está preparado para a Nova Economia? Reunimos as mentes mais brilhantes do Brasil para debater os pontos fundamentais que vão impactar seus negócios e sua carreira em 2018: A Revolução da Nova Economia.

Compartilhe:
Classifique: