Empreendedor brasileiro é escolhido em peneira pelo MIT, mas não pode ir

No total, precisaria de cerca de R$ 30 mil para participar do evento e por isso acaba de começar um projeto de crowdfunding

Felipe Moreno é editor-chefe do StartSe e fundador da startup Middi, era editor no InfoMoney antes

17 de junho de 2015

SÃO PAULO – O que você faria se tivesse uma boa start-up, fosse reconhecido por uma das principais instituições de ensino do mundo e pudesse aprimorar suas habilidades em um programa – mas não tivesse os meios econômicos para ir? O jovem João Vitor Chaves Silva quer resolver seu problema de maneira simples: através de um crowdfunding.

Saiba como construir uma startup de sucesso. O curso “Startup de A a Z” aborda desde a validação da ideia até a negociação com investidores. Garanta sua vaga!

João foi escolhido pelo MIT (Massachussets Institute of Technology) para participar do MITx Global Entrepreneurship Bootcamp. No total, precisaria de cerca de R$ 30 mil para participar do evento – mas não conta com o dinheiro atualmente. O crowdfunding acaba de começar (portanto é normal estar quase zerado) e vai até o dia 16 de julho.

João é um empreendedor muito jovem, de 21 anos de idade, que estuda engenharia bioenergética na Fumec, em Belo Horizonte. Mas a sua real vocação, na verdade, é o empreendedorismo. “Desde que entrei pra faculdade sempre me envolvi com empreendedorismo, primeiro com a empresa júnior que ajudei a fundar e hoje sou presidente”, fala o jovem empreendedor.

Ele foi escolhido por conta de seu projeto Montain Wolves – juntamente com sua sócia Carolina Morimoto, que estuda na UFSCar -, que tem uma ideia bastante simples por trás: unir universitários com mentores, já que muitas das boas ideias que os universitários possuíam para empreender acabavam não saindo do papel por conta de má gestão.

Parece algo relativamente conhecido, mas uma novidade atraiu o MIT. “Começamos a desenvolver um software capaz de perceber as deficiências dos projetos e usar análise de BIG Data para aconselhar os empresários na tomadas de decisões quando estão montando o seu modelo de negócios”, afirma o empreendedor.

Ele descreve isso como “uma espécie de inteligência artificial que ajuda a criar o plano de negócio”. “Com isso conseguimos aumentar e muito os níveis de sucesso, uma vez que o software consegue realizar uma análise macro do cenário do negócio com base em variáveis em tempo real”, salienta.

Para ajudar o seu sonho de ir para o MIT, João precisa de US$ 6.000 para se inscrever – o grosso de tudo que será arrecadado. Também precisará de despesas gerais e de passagens para ir e voltar dos Estados Unidos. Em troca, ele resolveu dar alguns presentes para as pessoas que lhe ajudarem.

Tudo isso está descrito na plataforma Kickante, onde João está fazendo seu crowdfunding. Nós, do StartSe InfoMoney, desejamos toda a sorte para o jovem empreendedor e esperamos que as pessoas o ajudem a realizar o seu sonho.

Para doar, clique aqui.

Compartilhe:
Classifique: