Conheça o Nós8: coletivo jurídico que dá assessoria gratuita para startups

Criado em 2015, o coletivo já atendeu 1078 empreendedores e incubou 16 startups

Isabela Borrelli é repórter do Portal StartSe

6 de setembro de 2017

Empreendedores geralmente focam muito em como solucionar uma dor, além de contarem com um orçamento baixo. Com esses dois fatores, não é surpresa que assuntos importantes ligados à área jurídica passem batido. Por isso, é comum startups, ainda mais as em early stage, carecerem de um auxílio jurídico de qualidade. É aqui que entra o Nós8, coletivo jurídico que doa assessorias jurídicas para empreendedores que estão começando.

Como o nome sugere, o Nós8 é formado por oito advogados que se juntaram criar a primeira plataforma de legal knowledge sharing. O objetivo é claro: fomentar o ecossistema brasileiro de startups e ajudar no futuro do país.

Como surgiu a ideia?

Helder Galvão, idealizador e cofundador do Nós8, conta que a ideia para o projeto surgiu a partir de dois fatores. Um deles foi na sala de aula, mais precisamente quando ele dava aula para o curso de Design, da PUC-RJ. Não era difícil alguns alunos quererem empreender na área de design, mas vários deles precisavam de ajuda. “Os alunos me procuravam para tirar dúvidas profissionais. Não tinham contato ou acesso a profissionais e não tinham dinheiro”, conta Galvão.

O segundo fator foi quando ele viajou ao Vale do Silício e se interessou pela cultura de compartilhamento. No caso, o advogado conta que apesar de ter percebido mais um compartilhamento de bens materiais na região, ficou motivado a dividir seu conhecimento.

Foi quando os dois fatores viraram solução no formato da advocacia de propósito. No caso, a assessoria a empreendedores iniciantes.

Como funciona?

O Nós8 oferece ajuda não só para quem está bem no comecinho do empreendimento, como também para quem já está mais avançado (nesse caso, a consultoria seria paga). Abaixo, as etapas nas quais o coletivo se propõe a ajudar:

Para selecionar as startups que receberão a assessoria, as startups têm que se cadastrar no site e depois elas são selecionadas a partir de uma reunião dos advogados sobre quais mais se encaixariam na incubação. Também é decidido qual plano mais se encaixa no empreendimento, sendo eles:

  • Nozinho: apontamentos das melhores práticas legais e quais caminhos a startup tem que seguir | Gratuito
  • Nó: 5 horas com direito a uma reunião presencial por mês | Preço: 500 reais
  • Nósão: 15 horas com 2 reuniões por mês | Preço: R$ 1.500

Participe do LawTech Conference e saiba como as startups estão transformando o universo jurídico no Brasil e no mundo!

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

Receba o melhor do nosso conteúdo para te ajudar

Compartilhe:
Classifique: