Como uma escada transformou uma livraria em ponto turístico de Portugal

A loja funciona num prédio de dois andares, desses que a gente vê no centro velho de muitas cidades, com cerca de dez metros de frente e uns cinquenta de profundidade. Qualquer livraria de shopping center é maior

Fundador da Nasajon Sistemas e membro do grupo de investidores-anjo “Harvard Angels do Brasil“

19 de fevereiro de 2016

Recentemente estive na Livraria Lello e Limão, parada obrigatória de qualquer City Tour em Porto, segunda maior cidade de Portugal. A lição que tirei, e compartilho com você neste artigo, é que diferenciar as nossas empresas é muito mais fácil do que parece.

Estou no fim de uma termporada de trinta dias em Portugal e deixei estes dias para conhecer algumas das “atrações turísticas” da cidade. Uma delas é a famosa livraria Lello, onde dizem os locais, a escritora J.Rowlings se inspirou para escrever a série do pequeno mago Harry Potter.

Pois bem, câmera em punho, lá fui eu conhecer a famosa livraria. À chegada, uma fila de meio quarteirão para “comprar ingresso” num quiosque vermelho em frente à loja, indicava que havia chegado ao local.

A loja funciona num prédio de dois andares, desses que a gente vê no centro velho de muitas cidades, com cerca de dez metros de frente e uns cinquenta de profundidade. Qualquer livraria de shopping center é maior.

O que fez desta livraria uma sensação ao ponto de constar em qualquer guia turístico da cidade é uma escada ovalada, com piso pintado de vermelho, que se divide no segundo andar e dá um ar “Harry Potter” ao ambiente. Eu fiz um vídeo que você pode ver neste link.

Conclusão: até uma livraria comum, nem muito grande é, pode se “diferenciar” das demais com uma ESCADA – não um sistema baseado em tecnologia de ponta, nem inovação de processo ou qualquer outro item dos que fazem as startups do vale do silício. Uma escada. Isso colocou a livraria Lello no mapa turístico de Portugal e suspeito que ganham mais dinheiro com ingressos dos turistas do que com a venda dos livros.

Agora fica a pergunta: qual é a “escada” que você pode construir no SEU negócio para colocá-lo no mapa?

Mande a sua ideia na área de comentários e darei o meu feedback.

Até a próxima!

Claudio

Compartilhe:
Classifique: