Fintechs para população de baixa renda podem receber R$ 215 mil da Caixa

A intenção do desafio é ter potencial de impacto social, incentivando a inclusão financeira de milhares de pessoas de baixa renda

Felipe Moreno é editor-chefe do StartSe e fundador da startup Middi, era editor no InfoMoney antes

4 de outubro de 2016

A Caixa Econômica Federal e a Artemisia lançaram um desafio para encontrar startups do setor financeiro voltadas para classes mais baixas. O programa, “Desafio de Negócios de Impacto Social – Educação Financeira e Serviços Financeiros para Todos”, busca m todo país negócios com soluções inovadoras em serviços financeiros para a população de baixa renda e pode dar até R$ 215 mil para cinco sortudas startups.

Na primeira etapa, 15 negócios que receberão até R$ 15 mil cada para testes e refinamento do modelo de negócio. Serão selecionados cinco startups dessas para a segunda etapa, onde os escolhidos receberão até R$ 200 mil para lançarem as soluções no público beneficiário – em um prazo de seis meses. As inscrições podem ser feitas até 30 de outubro, através deste site.

A intenção do desafio é ter alto potencial de impacto social, incentivando a inclusão financeira de milhares de pessoas da população de baixa renda, mudando realidade de muitos brasileiros. Os recursos do programa se originam no Fundo Socioambiental da Caixa, que recebe até 2% do lucro líquido da empresa e o destina para ações e projetos estruturantes de caráter socioambiental.

Podem participar empreendedores de todo o Brasil, com soluções já validadas no mercado ou em fase de validação, focados em educação financeira, produtos ou serviços financeiros. “A Caixa decidiu apoiar a aceleração de negócios de impacto social para buscar soluções inovadoras e escaláveis para melhoria contínua do relacionamento e dos negócios com nossos clientes, especialmente a população de baixa renda”, declara Jean Rodrigues Benevides, gerente Nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental.

Esse é um dos maiores programas da história da Artemisia, e eles esperam que a parceria com a Caixa traga grandes impactos sociais. “Acreditamos na vocação dessa iniciativa para mudar a realidade de muitos brasileiros, por focar em um setor estruturante para transformação do país, que é o setor de serviços financeiros”, afirma Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia.

Não é segredo que fintechs estão mudando a vida das pessoas no Brasil – companhias como Nubank, GuiaBolso são algumas das maiores startups do Brasil e possuem impacto gigante. Por isso, o StartSe criou o Fintech Class, o maior evento para fintechs no Brasil.

Impacto social

A expectativa de Caixa e Artemisia é que, ao final do processo, surjam soluções escaláveis e acessíveis para a população de baixa renda, capazes de ampliar a educação e a inclusão financeira.

O programa é a oportunidade para os empreendedores focados em serviços financeiros se aproximarem de uma gigante como a Caixa, estatal focada no público de menor renda. Com o apoio da Caixa, os empreendedores podem avançar nas soluções – com oportunidade de validarem suas hipóteses e testar ‘pilotos’ com o público beneficiário – e, com isso, ter soluções adequadas para impactar a vida de muitos brasileiros.

Compartilhe:
Classifique: