As Aventuras de Bel Pesce e o Empreendedorismo para crianças

Obviamente, não é fácil ensinar conceitos desse tipo para crianças, experimente tentar explicar o que é “Business Model Canvas” para seu priminho de 10 anos

É professor de empreendedorismo pelo MIT e fundador do Empreenda Junto

17 de abril de 2017

Sou um grande defensor de que os conceitos do empreendedorismo devem ser ensinados e compartilhados como parte da vida de todas as pessoas desde bem jovens, não para que todos cresçam e se tornem empresários, pois isso seria simplesmente inviável (além de impossível), mas sim, para desenvolver a mentalidade de “vai lá e faz”, reduzindo a dependência das pessoas em esperarem que outros resolvam seus problemas.

Obviamente, não é fácil ensinar conceitos desse tipo para crianças, experimente tentar explicar o que é “Business Model Canvas” para seu priminho de 10 anos, e você vai entender o que estou falando.

Assim, soluções alternativas para ao menos despertar o interesse e ensinar os conceitos mais simples e fundamentais por trás do tal mindset empreendedor, são quase sempre bem-vindas, e eis que me deparo com uma nova.

O livro “Aventuras da Bel Pesce”.

A menina do Vale já foi e para muitas pessoas ainda é, uma das maiores expressões do empreendedorismo “de startups” no Brasil.

Já foi endossada por nomes como Flavio Augusto, um dos maiores empreendedores nacionais, teve sua história na capa de revistas famosas e estudou na mesma instituição que eu, o MIT.

Porém recentemente ela se envolveu em polêmicas sobre sua real trajetória como empreendedora, tendo seus feitos e conquistas colocados em xeque após a confusão do crowdfunding do ZéBeLeo.

Após algum tempo meio fora do radar, um gibi lançado em 2015 foi “desenterrado” nos grupos de empreendedorismo nas redes sociais.

Com o titulo “As aventuras de Bel Pesce” com foco no público infantil (8 a 11 anos segundo a editora) e com o seguinte resumo:

“Neste primeiro volume da HQ Aventuras da Bel Pesce o leitor vai conhecer uma turma cheia de energia e disposição para enfrentar os maiores desafios. Como seria ficar perdido no meio de uma selva? Isso aconteceu com os personagens. Mas, essa galera sempre tem boas ideias para sair de encrencas. Aliás, uma bússola seria muito útil para eles não se perderem, e o leitor vai aprender a fazer uma. Existem tantas histórias curiosas por aí que em cada volume a turma da Bel sai mundo afora para aprender o que há de mais curioso no planeta Terra. Além das histórias, o leitor vai encontrar passatempos para a diversão ser completa.”

Em uma análise rápida fica claro que o livro possui como interesse despertar a curiosidade e o senso de se superar desafios, algo comum ao dia a dia empreendedor, porém, não deixa de ser um fato curioso a nova empreitada da fundadora da Faz Inova.

Ao se colocar na sombra da capa como uma heroína com direito a capa e tudo, ela se posiciona hoje, mesmo que de forma não intencional, como a possível primeira porta de contato das crianças com o Empreendedorismo, e com os recentes acontecimentos, fico em muito preocupado se esse primeiro contato é o melhor que poderia ser.

Honestamente, espero que o livro seja realmente interessante e que desperte o interesse das crianças por empreender e resolver seus problemas de forma mais independente e proativa, e que não acabe virando algo como as antigas revistinhas do “As Aventuras Do Gugu.”

 

Adendo importante: O livro foi lançado em 2015 e não recentemente como a matéria mencionava inicialmente.

Compartilhe:
Classifique: