Médico brasileiro quer ser o primeiro a imprimir um coração

Esse é um sinal de esperança para mais de 70 mil pessoas que aguardam um órgão

Especialista em startups e co-fundador do StartSe, maior ecossistema de startups do Brasil

15 de fevereiro de 2018

O médico brasileiro Gabriel Liguori tem uma meta ousada: imprimir um coração em impressora 3D até 2030. Ele, que teve o próprio coração operado aos 2 anos de idade, é um dos maiores prodígios da medicina brasileira.

Gabriel vai falar sobre seus estudos e pesquisas em impressão 3D de tecidos durante o Health Tech Conference, maior evento brasileiro sobre inovação, tecnologia e startups da área da saúde.

Médico formado pela USP, Liguori é Ph.D e pesquisador no Laboratório de Engenharia de Tecido e Fabricação de Órgãos no Instituto do Coração da USP.

A produção artificial de órgãos é uma das principais apostas da medicina, pela sua capacidade de reduzir de forma significativa a fila de espera por órgãos para transplante. A estimativa é de que exista uma demanda de mais de 70 mil órgãos, excluindo-se da conta os transplantes de córnea.

Para saber mais sobre Impressão 3D de órgãos e tecidos, conhecer mais sobre as pesquisas de Gabriel Liguori e entender como será o futuro da Medicina, inscreva-se já para o Health Tech Conference. Mais de 1 mil médicos e profissionais da saúde estiveram presentes na primeira edição.

Compartilhe:
Classifique: