Startup do Cubo: Omnize oferece descomplicação no atendimento ao cliente

Empresa brasileira aposta em tecnologia que permite atendimento diferenciado via chat, voz, vídeo, redes sociais, e-mail e telefone

Lucas Bicudo é repórter do Portal StartSe.

8 de novembro de 2016

O Cubo Coworking Itaú recentemente comemorou seu primeiro aniversário e promoveu um evento para empreendedores, investidores, representantes de grandes empresas, imprensa, startups e influenciadores do ecossistema. O StartSe esteve lá e teve a oportunidade de conhecer de perto as residentes da casa e seus projetos inovadores. Queremos te contar uma por uma, por isso damos início a série Startups do Cubo. A de hoje é a Omnize.

Trata-se de uma plataforma que traz maior eficiência no processo de atendimento ao consumidor de pequenas e médias empresas. A ideia é oferecer tecnologia que possibilite atendimento multicanal com opções de chat, videochat, voz pela web, mensageiros, redes sociais, e-mail e telefone, de maneira completamente integrada.

“Saber que o cliente que ligou hoje é o mesmo que falou via chat ontem, por mais banal que possa parecer, é extremamente complexo com as tecnologias atuais. O resultado é um atendimento pouco eficiente e estratégico, com informações que precisam ser repetidas à exaustão. Isso prejudica muito a relação do cliente com a empresa”, diz Helena Simon, cofundadora e CMO da startup.

A Omnize resolve esse problema trazendo um histórico unificado do cliente a cada atendimento, independente dos canais utilizados para contato.

Outro foco da plataforma é o setor de e-commerce. No primeiro semestre de 2016, o varejo online movimentou cerca de R$ 19,6 bilhões, crescendo 5,2% em relação ao mesmo período no ano anterior. Segundo a Forrester, 77% dos usuários que abandonam uma compra online citam como principal motivo a inabilidade de falar com alguém. Para o CTO Ricardo Galvão, unir todos os canais de atendimento em uma única plataforma acessível é essencial para que as pequenas empresas consigam atender de maneira eficiente e, assim, aumentar seu retorno de conversão.

“Antes, para atender múltiplos canais era necessário contratar vários fornecedores ou fazer um grande investimento em projetos personalizados de integração”, afirma.

A empresa, que prevê faturamento de R$ 10 milhões nos primeiros três anos de operação, vê o Brasil com muitas oportunidades de negócio, uma vez que o mercado ainda é pouco explorado por players nacionais.

“Existe uma carência desse tipo de serviço no mercado brasileiro. Até então, estas soluções eram exclusividade de grandes companhias, o que deixavam as MPMEs à margem de oferecer um bom serviço de atendimento ou as obrigava a buscar soluções estrangeiras. A Omnize foi além, criando algo inovador que pode diferenciar o atendimento no país”, reforça o CEO Fabricio Buzzatti.

A companhia recebeu investimento inicial de R$ 1,5 milhão da INV Participações e, no início de 2016, foi indicada como uma das 10 startups brasileiras mais atraentes para grandes empresas, no programa 100 Open Startups da Wenovate. Além disso, foi finalista dos prêmios Acelera Startup, Lide Futuro, Seedstars e Lady Pitch Night.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

Receba o melhor do nosso conteúdo para te ajudar

Compartilhe:
Classifique: