Visão global: startup brasileira busca impactar 1 bilhão de pessoas

Com DNA de empreendedor Rodrigo veio ao Vale em Setembro do ano passado, logo após a venda de sua primeira startup – a Fbits, considerada a terceira maior plataforma de comércio eletrônico em seu segmento na época.

17 de novembro de 2017

Recentemente tive o prazer de conversar com Rodrigo Schiavini, paranaense formado em análise de sistemas pela PUC, pós graduado em Gestão de Projetos pela FGV e entusiasta de inovação e tecnologia.

Com DNA de empreendedor Rodrigo veio ao Vale em Setembro do ano passado, logo após a venda de sua primeira startup – a Fbits, considerada a terceira maior plataforma de comércio eletrônico em seu segmento na época.

Durante o processo de venda ele se perguntou o que fazer depois – e decidiu mergulhar no ecossistema empreendedor – voltou a estudar e começou a consumir o conteúdo da StartSe, o que o ajudou a otimizar seu projeto.

Procurando estruturar sua nova startup ele veio ao Vale querendo entender como poderia melhorar sua ideia, e saiu daqui motivado a impactar 1 bilhão de pessoas. Mas como assim? Rodrigo aderiu a mentalidade do Vale de que todo produto/serviço que é acessível e democratizado para a sociedade, tem escala global! Então por que se limitar apenas ao Brasil? Sendo assim, criou a SmartHint, um sistema de recomendação inteligente de produtos que é integrado à plataforma de comércio eletrônico e já está presente na Argentina, Colômbia, Chile é México, além do Brasil.

Assumindo que o varejo só ganha na escala ele decidiu pensar a longo prazo ao invés de buscar retorno financeiro direto, como seus concorrentes faziam. Ele adotou uma estratégia onde cobraria apenas 10% do equivalente de mercado, com o intuito de democratizar o uso de sua ferramenta.

Mais um destaque da mudança no pensamento de Schiavini foi que antes de ir ao Vale, a idéia por trás da SmartHint seria de deixar a loja virtual mais inteligente para vender mais. Após o retorno, a mudança foi sutil, porém, mudou o sentido da nova empresa. Ao invés de deixar a loja virtual mais inteligente para VENDER MAIS, a nova proposta foi deixar a loja mais inteligente para VENDER MELHOR, desta forma, fidelizando o consumidor final para potencializar crescimento sustentável do varejo como um todo.

Com alto valor agregado e baixo valor de investimento, a ferramenta já conseguiu atender mais de 1.000 lojas virtuais e mais de 7 milhões de consumidores desde o seu lançamento em Fevereiro desse ano. Agora os planos de expansão contam com uma rodada de investimento smart-money, que quer dizer que além do dinheiro investido a empresa também busca que o investidor agregue em termos de acesso à rede e network. Nesse caso, um dos investidores, vai tocar a expansão na Europa à partir de 2019.

Rodrigo participou da primeira missão que a StartSe organizou no Vale do Silício, no ano passado. Na sua opinião o mais precioso da experiência no Vale foram as conexões formadas com as pessoas – a troca de conhecimento, experiências, feedbacks. Tudo isso o fez se questionar e ajudou demais no desenho de seu projeto.

Motivado a não deixar a chama desse network especial morrer ele organizou um grupo de Alumni’s do Vale para manter contato e continuar marcando encontros semestrais com a turma. Hoje a nossa comunidade de Alumni já conta com mais de 300 participantes, o que proporciona um network incrível.

A última reunião do grupo foi dia 6 de Outubro, na sexta-feira anterior ao Silicon Valley Conference, que tomou lugar em São Paulo. No evento ele ainda participou de um painel com outros colegas que também vieram ao Vale e estavam compartilhando suas experiências.

Além de tocar sua startup hoje Rodrigo também é diretor reginal Paraná da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e diretor do Founder Institute do capítulo de Curitiba, organização focada em desenvolver empreendedores talentosos.

Email de contato: [email protected]

Faça como o Rodrigo e venha você também pro Vale do Silício

Compartilhe:
Classifique: