3 startups que conectam profissionais e criam marketplaces no setor jurídico

As lawtechs QUEROReclamar.com, Juris Correspondente e Jurídico Certo conectam profissionais de direito à pessoas físicas e jurídicas

Tainá é repórter da StartSe

14 de maio de 2018

O Direito é uma das profissões que atuam sob demanda – cada caso possui um início, meio e fim, mesmo que demore algum tempo para ser analisado. Entretanto, em meio aos processos jurídicos, muitas atividades burocráticas devem ser realizadas – como diligências e despachos – e muitas vezes os escritórios de advocacia recorrem por ajuda. As lawtechs surgem nessa equação conectando esses escritórios à profissionais do setor jurídico que buscam por demandas, trazendo mais autonomia a advogados e correspondentes a uma nova fonte de renda.

Marketplaces no mercado jurídico são formados, no qual startups viabilizam que profissionais ofereçam seus serviços de acordo com a própria capacidade e escritórios e empresas podem escolher um advogado ou correspondente jurídico para realizar determinados serviços. Três startups atuam de forma significativa nesse mercado – são essas:

QUEROReclamar.com

A QUEROReclamar.com é uma startup criada em 2017 para conectar pessoas envolvidas em conflitos com prestadores de serviço a advogados e profissionais do setor jurídico que possam resolvê-los. “As pessoas geralmente não têm o conhecimento ou acesso fácil à justiça para pleitear seus direitos e também indenizações por danos morais decorrentes dos aborrecimentos que tiveram, tempo perdido ou estresse vivido”, comenta Adriano Goes, CEO da lawtech.

Este é o o problema que a QUEROReclamar.com se propõe a resolver, tornando-se uma plataforma de reclamações sobre empresas, no qual advogados e mediadores são indicados para resolver os conflitos. Portanto, a startup funciona como um marketplace do serviço jurídico, facilitando que advogados encontrem clientes e que os consumidores tenham suas questões resolvidas.

A solução é gratuita para todos os players dessa equação – reclamantes, advogados e mediadores -, e, em seu modelo de negócios, a startup ganha uma porcentagem da indenização se o conflito é resolvido. A intenção é facilitar o acesso à consultoria jurídica, além de incentivar que as empresas prestem serviços de melhor qualidade.

De acordo com o CEO da startup, a QUEROReclamar.com já promoveu mais de 500 mil encontros em menos de 10 meses. Além do portal, a lawtech possui um aplicativo para o celular e permite que os reclamantes façam reclamações por voz. Para o futuro, a startup espera atingir o breakeven: “Atuamos em todo o Brasil e pretendemos agora tracionar nossa startup para chegarmos rapidamente a 10 milhões de encontros e alcançarmos nosso breakeven nos próximos 8 meses”, finaliza Adriano Goes.

Juris Correspondente

Já a Juris Correspondente conecta advogados a correspondentes jurídicos. A startup foi criada em 2012, como o segundo empreendimento de Tomaz Chaves – também cofundador da AB2L, após enxergar a oportunidade. “A correspondência jurídica resolve duas dores muito importantes: a perda de tempo e de dinheiro. O Brasil possui a dimensão de um continente e escritórios de advocacia, departamentos jurídicos e advogados muitas vezes patrocinam causas em todo o país – encurtamos distâncias e levamos oportunidades”, comenta Chavez.

Os correspondentes jurídicos atuam prestando diversos serviços, como a participação em audiências, protocolos, assessorias jurídicas, diligências, despachos, entre outros. Atualmente, a startup possui mais de 85 mil advogados e correspondentes jurídicos cadastrados na plataforma, que atuam em mais de 5 mil cidades.

Além de conectar profissionais jurídicos, a startup atua na capacitação destes, oferecendo conteúdos gratuitos sobre gestão, marketing e carreira através de um portal e vídeos. Em seu modelo de negócios, a startup vende planos de assinatura para que os correspondentes façam parte da rede, que facilita a procura e encontro de oportunidades. Dessa forma, o profissional pode atuar como freelancer, representando colegas de profissão e escritórios de advocacia em causas.

A lawtech também investe em programas de mentoria e venda de cursos para advogados. “Nosso plano para o futuro é nos tornarmos a principal fonte brasileira de soluções e oportunidades para advogados, principalmente para quem estiver em início de carreira ou buscando evoluir na profissão”, afirma o CEO da Juris Correspondente. Além disso, a startup está auxiliando departamentos jurídicos e escritórios a utilizarem softwares e tecnologias em geral para potencializar resultados.

Jurídico Certo

A Jurídico Certo também reúne advogados e correspondentes jurídicos à escritórios e departamentos jurídicos, conectando mais de 104 mil advogados à 50 mil escritórios e empresas.

A lawtech criou uma comunidade de correspondentes jurídicos, nos quais os profissionais mais avaliados são destacados. “Nascemos da vontade de modernizar o mercado jurídico no Brasil. Para isso, modernizamos a forma de fazer e pensar”, manifesta a startup. Para fortalecer ainda mais a comunidade, a startup oferece benefícios premium para os correspondentes jurídicos da categoria.

A startup criou ainda a JurídicoPag, uma ferramenta feita sob medida para pagar ou receber de forma online por serviços jurídicos. A ferramenta traz algumas facilidades ao profissional, como saber o dia exato do recebimento da demanda realizada.

A Jurídico Certo ainda atua na capacitação dos profissionais, oferecendo conteúdo com dicas e lições e disponibilizando um espaço para a publicação dos artigos dos próprios correspondentes jurídicos.

A QUEROReclamar.com, Juris Correspondente e Jurídico Certo estarão na Startup Village da LawTech Conference, apresentando suas soluções no maior evento de tecnologia para o setor jurídico. O evento acontecerá em 15 de maio – garanta sua vaga e fique por dentro de todas as inovações!

Compartilhe:
Classifique: