Novo unicórnio: Coinbase levanta US$ 100 mi com valuation de US$ 1,6 bilhões

A Coinbase movimentou quase US$ 15 bilhões em câmbio de moeda digital no primeiro semestre de 2017

Lucas Bicudo é repórter do Portal StartSe.

10 de agosto de 2017

Os últimos seis meses da Coinbase foram bem movimentados. No início de 2017, o mundo da criptografia era um lugar diferente. O Bitcoin estava abaixo de US$ 1 mil por moeda e o valor de mercado era cerca de sete vezes menor do que hoje. Desde então, tudo mudou. A Coinbase está no lugar certo, no momento certo, para capitalizar essa oportunidade no setor.

Para então, a startup levantou uma rodada de Série D, no valor de US$ 100 milhões, liderada pela IVP, com participação do Spark Capital, Greylock Partners, Battery Ventures, Section 32 e Draper Associates. A quantia dá à Coinbase um valuation de US$ 1,6 bilhões.

A Coinbase movimentou quase US$ 15 bilhões em câmbio de moeda digital no primeiro semestre de 2017, o que é cinco vezes mais que foi movimentado em 2016. A esse ritmo, a startup pode viver um aumento de dez vezes no volume de transações de todo o ano 2016 para 2017. Além disso, no mesmo período, houve um aumento de quatro vezes o número de clientes entrando na plataforma.

Confira também: o StartSe, juntamente com a Associação Brasileira de Fintechs, lança a primeira conferência da América Latina totalmente voltada para o mundo das fintechs. Dividido em três pilares, o evento contará com palestras e debates, feira com exposição de fintechs e workshops para empreendedores e executivos do mercado financeiro.

A startup adicionou suporte para Ethereum em 2016 e Litecoin em 2017 – e querem ainda acrescer novas criptomoedas no futuro. Na frente do produto, o GDAX recentemente adicionou margem de negociação para atrair comerciantes profissionais e a Coinbase planeja abrir um escritório GDAX em Nova York para continuar construindo relacionamentos com esse tipo de instituição.

O próximo ano determinará se a criptografia atingirá as massas, auxiliada pela tecnologia que ajuda a torná-lo acessível ao consumidor médio, ou se continua a ser um nicho relativo dentro da comunidade de tecnologia e finanças.

(via TechCrunch)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

Receba o melhor do nosso conteúdo para te ajudar

Compartilhe:
Classifique: