10 startups brasileiras para você ficar de olho no ano de 2018

Seja qual for o setor e tecnologia utilizada, essas startups se destacam trazendo inovações promissoras

Tainá é repórter da StartSe

18 de dezembro de 2017

Ano após ano, as startups que permanecem na ativa são aquelas que de fato validam seu modelo de negócios e/ou trazem uma solução realmente inovadora para o mundo. No fim, não importa se a startup usa blockchain, inteligência artificial ou qualquer outra nova tecnologia – o que é primordial, no caso, é fazer a diferença e contribuir com a Nova Economia.

Para saber como startups podem contribuir ativamente para a Nova Economia, participe do evento e baixe o e-book gratuito.

Com base nessa ideia, selecionamos 10 startups cadastradas em nossa base para você ficar de olho em 2018. Na lista, há fintechs, healthtech, que usam inteligência artificial, big data e outros… Se você possui uma startup, pode cadastrá-la em nossa base, mapeando e tornando-a acessível em todo o Brasil.

Confira algumas das mais promissoras para 2018 (e saiba mais sobre elas clicando em seus nomes!):

Juntos

A Juntos é uma fintech que traz a gestão online completa de negócios para empresas. A startup oferece desde a emissão de boletos, notas fiscais, certificação digital à equipamentos e máquina de cartões. O objetivo é que as empresas não precisem lidar com a contratação de vários fornecedores, diminuindo a burocracia.

Dessa forma, os consumidores são livres para contratar apenas os serviços que desejarem, mas possuem desconto se contratarem toda a carteira. A contratação de todos os serviços permite a realização de relatórios em tempo real, usando inteligência artificial.

Crebit

Apesar da popularização dos cartões de créditos, milhões de brasileiros ainda não têm acesso a esta forma de pagamento, muitas vezes por falta de aprovação. A Crebit traz um cartão digital “pré-pago” no qual o cliente deposita o valor a ser utilizado e as taxas são revertidas em bônus no celular, cinema, entre outros.

O cartão é voltado para o público jovem, que deseja contratar serviços online (e muitas vezes mensais) como Netflix e Spotify. Por ser um serviço pré-pago, não há perigo do cliente se endividar.

DATAHOLICS

A startup é uma plataforma que captura e estrutura dados das redes sociais de pessoas, criando um perfil para as empresas capaz de confirmar a identidade e autenticidade dos clientes. O objetivo é aumentar os sistemas antifraude das empresas, baseando-os no próprio comportamento dos consumidores.

A ferramenta é necessária porque muitos credit scoring hoje são imprecisos, avaliando algumas experiências ruins de pagamento e não toda a trajetória do cliente.

RobbIoT

A startup utiliza a internet das coisas (IoT) para monitorar ambientes e prevenir acidentes de trabalho. A RobbIoT usa dispositivos wearables para gerar análises, relatórios preventivos e preditivos em setores com grandes riscos, como construção civil e mineração.

Além de IoT, a empresa utiliza big data e analytics. A plataforma em nuvem garante que os dados sejam processados e estejam disponíveis em tempo real.

Octadesk

A plataforma concentra as solicitações dos clientes de diferentes canais, permitindo o atendimento independente do estágio da venda/serviço. A ferramenta é personalizável e há a otimização de processos a partir da automatização de etapas e priorização de demandas.

A Octadesk ainda traz um relatório que identifica problemas e melhora estratégias. Um exemplo disso é que é possível criar um tempo de resolução para cada ticket, desenvolvendo uma área especializada em sucesso com os clientes.

Nexer Labs

A Nexer torna qualquer carro comum, em conectado. Com a colocação de um dispositivo, a empresa é capaz de saber quando o veículo deu partida, onde está localizado, qual o estado da bateria e motor e quando deve ter manutenção. E a Nexer transforma todos esses dados em informação sobre o carro para seus donos. O cliente saberá até o consumo de combustível por trajeto, distância e tempo percorrido.

O cliente tem acesso a todas essas informações por meio de um aplicativo. O benefício dos carros conectados pode ser aproveitado até por mecânicos, que têm a possibilidade de antecipar problemas, resolvê-los e trazer um atendimento ainda mais satisfatório aos clientes.

Moobie

Atualmente, as pessoas usam cada vez menos seus carros, apelando para táxis e motoristas encontrados em aplicativos. Isso só não é possível em ocasiões especiais como viagens, por exemplo. A Moobie soluciona esse problema trazendo o aluguel de carros através do carsharing. A Moobie promove o aluguel de carros entre pessoas por geolocalização. Para quem tem carro ocioso, é uma forma de gerar receita; quem precisa de um carro, poderá alugar um que atenda às suas necessidades, pelo tempo desejado.

O diferencial para as outras locadoras é facilidade: a geolocalização aproxima os clientes e todos os processos são feitos online, desde a contratação ao pagamento.

Pin People

Na Pin People, a inteligência artificial não substitui o ser humano – pelo contrário, ajuda a tornar suas experiências nas empresas mais satisfatórias. Desde a seleção à manutenção dos colaboradores, a Pin People usa a inteligência artificial para analisar comportamentos e adequação às vagas, até a satisfação e produtividade.

Um exemplo da atuação da inteligência artificial nos recursos humanos feito pela Pin People é o análise de candidatos, eliminando inúmeros currículos que não se adequam às vagas e poupando o tempo dos profissionais de RH.

Laura Networks

A inteligência artificial surge mais uma vez, dessa vez em outro setor. A Laura Network desenvolve sistemas com I.A para o setor de saúde. Por meio do robô Laura, a empresa traz o gerenciamento de riscos de pacientes, com foco em evitar a sepse.

Quando um paciente atinge um grau de emergência, o robô Laura percebe e muda a cor do painel, coletando todas as informações e possíveis mudanças em seu estado.

Bee2Share

Imagine a situação: uma empresa do setor X usa os mesmos equipamentos que a sua, está diminuindo sua produção e possui máquinas ociosas. Você, do setor Y, está aumentando sua produção, mas ainda não tem (ou está com medo) de comprar maquinários. A Bee2Share entra no negócio fazendo os maquinários renderem para a empresa X, alugando-os para você, empresa Y. A startup une conectando dois agentes da indústria, solucionando o problema de ambos.

Os cadastrados na plataforma recebem notificações quando há novas oportunidades e podem se comunicar por meio de um chat ali mesmo. A integração permite a criação de leads e desenvolvimento de novas parcerias.

Compartilhe:
Classifique: