5 das 10 empresas mais inovadoras da América Latina são brasileiras

Na lista da The Fast Company, o Nubank figura entre as primeiras colocadas brasileiras no ranking da América Latina

Tainá é repórter da StartSe

21 de fevereiro de 2018

A Fast Company divulgou a lista das empresas mais inovadoras de 2018, listando as 50 primeiras (na qual a Apple é líder) e ranking por setor. No setor da América Latina, 5 das 10 empresas mais inovadoras deste ano são brasileiras! Esta é uma ótima notícia para todos os players do ecossistema, pois confirma que empresas brasileiras estão cada vez mais fortes e se destacando no mundo. Se você deseja participar do ecossistema e saber como construir a própria startup, conheça o Accelerator Day.

O Nubank figura a primeira empresa brasileira no setor, localizada no 3º lugar do ranking. A 99, aplicativo de mobilidade e primeiro unicórnio brasileiro, é a segunda empresa citada, constando no 5º lugar do ranking da América Latina. Em seguida, no 6º lugar, está a Bov Control – agrotech que analisa dados para melhorar a produção de leite em fazendas. O Magazine Luiza aparece como a sétima empresa do ranking, seguida pela Cargo X, startup de logística para caminhões.

Ranking das 10 empresas brasileiras mais inovadoras, segundo a Fast Company:

1º – Nubank

A fintech conquistou a posição por criar soluções bancárias para brasileiros que não poderiam ou não tinham acesso aos bancos tradicionais. A Fast Company destacou que a startup alivia as altas taxas e transforma o processo de cartão de crédito mais simples por ser totalmente virtual e não ter taxas “escondidas”. A revista afirmou que o Nubank é a 6ª empresa de crédito no país, citando ainda a abertura das contas digitais “NuConta”.

Segundo a revista, os próximos passos da fintech são cartões de débito e assistência no caixa eletrônico – o que faz muito sentido, agora que o Nubank foi aprovado como instituição financeira.

Ranking América Latina: 3º lugar

2º – 99

Fundada em 99 por três brasileiros, a startup se tornou o primeiro unicórnio do país em janeiro deste ano. Para alcançar o valuation de US$ 1 bilhão (o que a transforma em unicórnio), a startup foi adquirida pela chinesa Didi, plataforma de transporte por aplicativo disponível em mais de mil cidades.

Inicialmente carregava o nome de “99 Táxi”, hoje a startup excluiu o sobrenome e uniu, em apenas um aplicativo, dois lados conflitantes: motoristas autônomos e taxistas. Segundo a startup, hoje no país há 14 milhões de passageiros para a oferta de 300 mil taxistas e motoristas.

Ranking América Latina: 5º lugar

3º – BovControl

O mercado de agropecuária é um dos maiores do país e a BovControl surgiu para torná-lo ainda mais produtivo. A agrotech funciona como uma ferramenta para fazendeiros monitorarem a produção de leite e carne, com o objetivo final de diminuir a fome no mundo.

A partir de dados como peso, quantidade de leite produzido, status de vacinação, temperatura e histórico genético, a BovControl usa a inteligência artificial para analisar a produção. Quando há alterações na produção de leite de uma vaca, por exemplo, o aplicativo sinaliza para os fazendeiros. A BovControl trouxe a  “internet das vacas” para o mundo todo, e hoje possui, além da sede em São Paulo, dois escritórios nos Estados Unidos. A BovControl é uma parceira da StartSe no Vale do Silício hoje.

Ranking América Latina: 6º lugar

4º – Magazine Luiza

A Fast Company destaca que a varejista Magazine Luiza introduziu o modelo de loja virtual nos anos 90, no qual os clientes possuem uma experiência omnichannel, pois podem provar os produtos na loja física e comprá-los no e-commerce.

A revista ainda destaca os programas de inovação “Magazine Você”, um marketplace no qual consumidores da varejista criam suas lojas online para venderem os produtos da Magazine Luiza e recebem comissão, e o Luizalabs, o laboratório de inovação da empresa. Conheça em detalhes a atuação do Luizalabs, fundamental para a estratégia tecnológica da Magazine Luiza hoje.

Ranking América Latina: 7º lugar

5º – CargoX

A CargoX conecta motoristas de caminhões com espaços ociosos na carga com empresas que desejam transportar produtos. Os motoristas lucram mais e as empresas possuem a oportunidade de conseguir um frete mais barato.

Em novembro de 2017, a startup recebeu o investimento de US$ 20 milhões em uma rodada série C. Com o aporte, a empresa deverá expandir a integração por GPS, o que dará uma maior localização da carga para as empresas, melhorando o monitoramento das viagens.

Ranking América Latina: 8º lugar

Confira o ranking completo da América Latina:

1º – Semtive

2º – Satellogic

3º – Nubank

4º – Apli

5º – 99

6º – BovControl

7º – Magazine Luiza

8º – CargoX

9º – Ruta N

10º – Wild Gum

Receba as novidades mais quentes da Tecnologia no mundo em seu e-mail.

Compartilhe:
Classifique: