Ernst Young apresenta seu case de universidade corporativa

A universidade corporativa da empresa foi criada em 2007, para capacitar ainda mais os colaboradores

Tainá é repórter da StartSe

18 de abril de 2018

Renata Teixeira esteve na EdTech Conference que aconteceu nesta quarta-feira (18), para apresentar o case da EYU: a Universidade Corporativa da Ernst Young. Teixeira é Gerente Sênior de Aprendizagem da empresa na América do Sul e no Brasil. A corporação, , que foi criada em 1989 no Reino Unido, presta diversos serviços, entre eles o de consultoria e auditoria em negócios.

E é justamente por prestar um papel tão importante para empresas e corporações que a Ernst Young sentiu a necessidade de capacitar ainda mais os seus colaboradores. A solução foi criar no Brasil, em 2007, a Universidade Corporativa Ernst Young – conhecia como EYU.

“O nosso grande desafio é o de conhecer de maneira profunda todas as estratégias de aprendizagem que podemos agregar ao business”, comentou Teixeira. A Universidade Corporativa da Ernst Young faz o levantamento das necessidades dos colaboradores, define as estratégias de aprendizagem a serem utilizadas e cria treinamentos. Os cursos são ministrados por coordenadores, instrutores e monitores qualificados para as tarefas.

“Nós temos profissionais que desde que entraram na EYU acham que não precisam se desenvolver em soft skills”, disse a gerente sênior da empresa. A universidade corporativa atua contribuindo na solução desses gaps, trazendo cursos das habilidades consideradas “softs” (como liderança, trabalho em equipe, etc) para seus colaboradores. “Trazemos as competências essenciais aos líderes, que são o foco no cliente, no mercado e a equipe de alta performance”, afirmou. A EYU aplica os conteúdos através de várias estratégias de aprendizagem, como gamificação, ensino online, storytelling e microlearning.

Um exemplo de microlearning utilizado pela universidade corporativa são as “pílulas de conteúdo” – pequenos vídeos focados em trazer conhecimentos rápidos. O conteúdo é chamado de EYU Insights. “Como estamos na época de imposto de renda, por exemplo, compartilhamos dicas da própria EYU para fazê-lo”, comentou Renata Teixeira.

Além das pílulas de conteúdo, a EYU possui cerca de 1089 títulos disponíveis, entre cursos de liderança, negociação e mediação de conflitos e empreendedorismo corporativo. “É importante ter uma curadoria dos temas com inteligência, pois apenas disponibilizar login e senha não é agregar valor – é necessário saber a necessidade do seu ‘cliente interno’ e qual a estratégia educacional utilizar para impactar no negócio”, disse a gerente sênior. O serviço de curadoria também é realizado com conteúdos externos recomendados –  a universidade analisa resumo de livros (no formato GetAbstract), palestras TEDs e outros materiais que incentivarão melhores resultados em seus colaboradores.

A tecnologia na educação

A Universidade Corporativa da Ernst Young utiliza a tecnologia para potencializar seus resultados. Por oferecer uma ampla cartela de serviços, uma dificuldade sentida pela empresa é que os colaboradores não conhecem todas as opções. Por isso, a Ernst Young uniu a engajadora experiência da realidade virtual e aumentada para apresentá-los.

A EYU possui um “learning lab”, ainda não oficialmente inaugurado. O laboratório foi desenhado especialmente para promover a educação mediada pela tecnologia e incentivar uma aprendizagem colaborativa entre os funcionários da empesa. A colaboração também tem espaço no “Programa Experiência”, no qual funcionários de cargos mais elevados passam um período em outras posições para identificar falhas na área, melhorá-las e consolidar conhecimentos.

Receba as novidades mais quentes da Tecnologia no mundo em seu e-mail.

Compartilhe:
Classifique: