Startup no Vale do Silício ajuda a levar sua empresa para os EUA

A Oaktech auxilia na internacionalização de empresas ao lançar seus produtos e realizar a validação no mercado

Tainá é repórter da StartSe

17 de maio de 2018

Um dos maiores desafios que toda startup enfrenta é a validação de sua ideis. Esta etapa é a confirmação que seu produto alcança o público-alvo e realmente sana a dor que supunha resolver. A validação é importantíssima para que a startup cresça rapidamente, mas com consistência, evitando investir em soluções que não terão um bom resultado no mercado.

Uma startup poderá receber ao menos duas validações importantíssimas em sua trajetória: quando ela é criada e em sua internacionalização. Antes de trazer suas soluções e produtos para um novo país, a empresa precisa realizar a validação de que o produto será bem recebido em novas terras. Saiba como validar um produto e acelerar o crescimento da sua startup em nosso e-book gratuito.

Cidadãos norte-americanos, por exemplo, possuem preferências diferentes que as nossas, ainda que alguns produtos do país façam sucesso no Brasil. Portanto, mesmo que alguns produtos dos Estados Unidos façam sucesso no Brasil, não é todo produto brasileiro que terá uma boa desenvoltura nos EUA. Por esse motivo, Fernando Figueiredo e Rafael Ferraz criaram a Oaktech: uma startup que promove a internacionalização de outras empresas.

A Oaktech está sediada no Vale do Silício, maior ecossistema de inovação e startups do mundo. Apesar de ser uma startup, a equipe da Oaktech possui anos de experiência com comércio exterior, e utiliza essa expertise na criação de MVPs, promovendo a internacionalização de empresas que já possuem um modelo de negócios estabelecido.

Mas, diferente de uma consultoria, a startup age do início ao fim e executa todos os processos. A Oaktech mapeia todo o mercado, realizando o plano de negócios e desenhando a estratégia a ser seguida pela empresa. “Realizamos desde o marketing e posicionamento do produto até o funil de conteúdo e vendas”, diz Fernando Figueiredo, CEO da Oaktech.

Rafael Ferraz, Head of Product da Oaktech, citou as maiores dificuldades que uma empresa enfrenta ao se internacionalizar, segundo um estudo de Harvard: idioma, barreiras culturais, falta de networking, falta de informação das leis e custo muito alto.

“Com todos esses insights, levamos esses outputs para a empresa. Antes da empresa optar passar pelos processos de internacionalização padrão, ela pode tomar uma decisão com mais coerência – como se é o momento certo para vir ao novo mercado e quais ajustes precisa fazer para que esse produto tenha fit”, comenta Ferraz.

Por estarem localizados no Vale do Silício, a startup foca principalmente em empresas de tecnologia e de produtos. “Não atuamos com commodities, pois não há produto para ser testado nesse caso”, comenta Fernando Figueiredo. A região foi escolhida para o lançamento de produtos porque concentra pessoas de várias nacionalidades e tem potencial global.

“Outro motivo para estarmos na Califórnia é que aqui há pessoas com poder aquisitivo muito alto e que são clientes exigentes. Quando um produto passa pelo critério de um consumidor da Califórnia, ele está preparado para atingir o resto dos Estados Unidos devido a exigência do consumidor daqui”, afirma o CEO.

Além de lançar e validar produtos das empresas que desejam se internacionalizar, a Oaktech realiza a conexão com outras empresas interessantes, pois em alguns casos é mais estratégico atuar em outro país através de uma joint-venture.

“Nós últimos anos, percebemos um aumento significativo de empresas brasileiras nos Estados Unidos, mas muitas estavam vindo da maneira errada. É um movimento arriscado, pois o custo é muito alto e a chance de dar errado, também. Por isso as auxiliamos através do nosso programa de aceleração de produtos”, diz Figueiredo. O programa completo dura em torno de um ano e o funil de vendas começa de 4 a 6 meses, após a realização da pesquisa de mercado.

A startup já auxiliou as empresas One Skin Technologies, GH Branding, OpenTheDoor e Salter Labs a entrar em mercados internacionais. No futuro, os fundadores da Oaktech desejam se tornar o portal de entrada para o mercado dos Estados Unidos.

Quer saber mais novidades e conhecer outras startups? Assine a nossa newsletter sobre o tema!

Compartilhe:
Classifique: