Startup traz carsharing e promove aluguel de carros entre pessoas

A Moobie conecta pessoas próximas que querem alugar seus próprios carros com quem deseja alugá-los, tudo por um aplicativo

Tainá é repórter da StartSe

1 de dezembro de 2017

Você já imaginou alugar o carro do seu vizinho, que o deixa parado o dia inteiro na garagem enquanto vai trabalhar? Essa é a solução que a Moobie traz: o aluguel de carros entre pessoas. A startup desenvolveu a ideia de carsharing sem colocar novos carros na rua – e serve para quem quer ganhar uma renda extra, gerando receita com o carro que ficaria parado na garagem.

Ao mesmo tempo, as pessoas que alugam costumam utilizar os carros para viagens e ocasiões especiais. O diferencial da solução da startup para as locadoras é que todo o serviço é feito online, através de um aplicativo. Atualmente, o preço mínimo de uma diária de um carro é de R$ 73 reais (já com seguro incluso), mas o preço varia de acordo com os modelos. É possível encontrar desde carros populares aos luxuosos na plataforma.

Tamy Lin, CEO e fundadora da Moobie, criou a startup em março deste ano. Ela trabalhou na Secretaria de Transportes do Estado de São Paulo e sempre quis melhorar o transporte no país. A fundadora da Moobie teve a ideia de criar a startup quando percebeu que as pessoas que possuem carro não os utilizam mais do que 10% do tempo. Baseada em outros modelos de carsharing, resolveu criar um modelo que não coloca mais carros nas ruas, aproveitando os que já existem e explorando suas capacidades. Atualmente, o aplicativo já conta com mais de 25 mil pessoas cadastradas.

Um usuário, ao fazer um pedido de carro pela Moobie, tem acesso aos carros mais próximos de sua localização. O objetivo é que a transação seja feita da maneira mais simples possível – é por isso que todos os contratos e contatos são feitos pelo próprio aplicativo, desenvolvido pelo próprio time da Moobie.

Para um carro fazer parte das opções da Moobie, precisa ser regularizado, ser de pessoa física e ter seguro. A necessidade de um seguro já existente é apenas para descartar uma vistoria, já que a própria startup cobra uma taxa de R$ 35 reais que oferece um seguro completo para o carro (ou seja, cobre colisões, roubos e furtos, terceiros, etc.). Outro padrão que deve ser atendido é de que o carro deve ter menos de 100 mil km rodados, e modelo superior ao ano de 2008.

A startup oferece uma curadoria de preço para seus parceiros, informando qual é o melhor preço para o aluguel do carro de acordo com a tabela FIPE. Também há uma assistência para os motoristas que alugam seus carros aprenderem a usar o aplicativo. Por segurança e checagem de informações, a aprovação do cadastro de um novo parceiro é realizada em até 48h.

E quem aluga carros na Moobie também passa por uma aprovação de cadastro, no qual suas informações são checadas – como a CNH, por exemplo. Para a startup, é importantíssimo garantir a segurança de todos os envolvidos, visto que a entrega do carro é feita pessoalmente entre as pessoas. O tempo de utilização também é algo combinado entre os usuários, mas a diária mínima é de um dia.

“É importante requisitar o carro com dias ou algumas horas de antecedência para que o motorista o entregue limpo e com o tanque cheio. Mas já tivemos casos em que o aluguel foi realizado em 30 minutos”, comenta Tamy Lin.

Para cobrir os custos do aplicativo e assistência, a Moobie cobra comissão de 20% sob os aluguéis realizados. “Há relatos de parceiros que já chegaram a lucrar mais de mil reais mensais, apenas alugando seu carro”, informa a CEO. O quanto os parceiros vão lucrar depende se aceitarão as propostas de aluguel ou não.

Investimentos que aproximam o futuro

A Moobie foi investida por investidores-anjo, que contribuíram financeiramente e com ideias na trajetória da startup. Fábio Póvoa, um dos maiores investidores-anjo do país, discutirá a modalidade na Angel Class.

E, atualmente, está sendo acelerada na Liga Ventures – uma aceleração que não possui equity. No programa da Liga, startups possuem empresas “madrinhas”, e a Webmotors é a empresa que contribui com a Moobie. A cooperação entre empresas e startups é enriquecedora para os dois lados da moeda. Empresas podem inovar a partir das novas soluções das startups e startups aprendem com a experiência de vida das empresas. Essa relação e seus desdobramentos serão abordados na Corporate Startup Innovation.

O futuro “Ainda somos uma plataforma embrionária, mas sonhamos grande: queremos ser a maior plataforma de carsharing do país”, afirma Tamy Lin. Atualmente, a Moobie está presente em 15 cidades de São Paulo, mas a expectativa é de expansão para outras capitais em breve.

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

Receba as novidades mais quentes da Tecnologia no mundo em seu e-mail.

Compartilhe:
Classifique: