Deputada dinamarquesa escreve excelente texto de como será a vida em 2030

“Não tenho nada, mas a vida nunca foi melhor”, é a melhor descrição do texto dela

Felipe Moreno é editor-chefe do StartSe e fundador da startup Middi, era editor no InfoMoney antes

16 de novembro de 2017

Ida Auken é uma deputada pelo partido Social Liberal Dinamarquês. E uma mente que pensa nos próximos anos da sociedade humana, sabendo que estamos prestes a passar por grandes grandes mudanças para melhor.

Por isso, escreveu um texto de como será a vida em 2030. “Não tenho nada, mas a vida nunca foi melhor”, explica ela no texto. De fato: ela acredita que a energia se tornará gratuita, o transporte se tornará gratuito e a vida vai ser profundamente afetada por isso.

Há enormes negócios ainda a serem desenvolvidos e muito dinheiro a ser ganho nesta mudança da sociedade. A Nova Economia está cada vez mais forte e é a sua chance de ter uma startup: dê uma olhada neste e-book que fizemos com um passo a passo de como fazer uma startup.

A única ressalva, porém, é para a falta de privacidade que existe em uma sociedade em que tudo é gravado. Veja o excelente texto de Ida Auken:

Bem-vindo ao ano 2030. Bem-vindo à minha cidade – ou, como eu deveria dizer, “nossa cidade”. Eu não sou dona de nada. Eu não sou dona de um carro. Eu não sou dona de uma casa. Eu não sou dona de nenhum eletrodoméstico ou roupa.

Pode parecer estranho para você, mas faz todo o sentido para nós nesta cidade. Tudo o que você considerou um produto, agora se tornou um serviço. Temos acesso a transporte, acomodação, alimentação e todas as coisas que precisamos em nossas vidas diárias. Uma a uma, todas essas coisas se tornaram de graça, de modo que acabou não fazendo sentido para nós terem tanto.

Primeiro, a comunicação tornou-se digitalizada e livre para todos. Então, quando a energia limpa tornou-se gratuita, as coisas começaram a andar para frente depressa. O preço do transporte caiu drasticamente. Não fazia sentido para nós possuirmos carros mais, porque poderíamos chamar um veículo sem motorista ou um carro voador para viagens mais longas dentro de minutos. Começámos a transportar-nos de uma forma muito mais organizada e coordenada quando o transporte público tornou-se mais fácil, mais rápido e mais conveniente do que o carro. Agora eu mal posso acreditar que aceitamos congestionamento e engarrafamentos, para não mencionar a poluição do ar dos motores de combustão. O que estavámos pensando?

Às vezes eu uso minha bicicleta quando vou ver alguns de meus amigos. Eu gosto do exercício e do passeio. É gratificante para a alma. Engraçado como algumas coisas parecem nunca parecem perder a sua emoção: andar, andar de bicicleta, cozinhar, desenhar e plantas em crescimento. Essas coisas fazem todo o sentido e nos lembram de como nossa cultura surgiu de um relacionamento íntimo com a natureza.

Problemas de meio-ambiente estão muito longe

Em nossa cidade não pagamos qualquer aluguel, porque alguém está usando nosso espaço livre sempre que não precisamos dele. Minha sala de estar é usada para reuniões quando eu não estou lá.

De vez em quando, cozinho para mim. É fácil – o equipamento de cozinha necessário é entregue na minha porta em poucos minutos. Desde que o transporte se tornou gratuito, deixamos de ter todas essas coisas estocadas em nossa casa. Por que manter uma máquina para fazer massa e um fogão de crepe estocado em nossos armários? Podemos pedi-los quando precisarmos deles.

Isso também facilitou a descoberta da economia criativa. Quando os produtos são transformados em serviços, ninguém tem interesse em coisas com uma vida curta. Tudo é projetado para durabilidade, reparação e reciclabilidade. Os materiais estão fluindo mais rapidamente em nossa economia e podem ser transformados em novos produtos com bastante facilidade. Os problemas ambientais parecem estar longe, uma vez que só usamos energia limpa e métodos de produção limpos. O ar é limpo, a água é limpa e ninguém se atreve a tocar as áreas protegidas da natureza porque elas constituem grande valor para o nosso bem-estar. Nas cidades temos muito espaço verde, plantas e árvores por toda parte. Eu ainda não entendo por que no passado preenchemos todos os pontos livres na cidade com concreto.

Receba o melhor do nosso conteúdo para te ajudar

A morte das compras

Compras? Eu realmente não consigo lembrar o que é isso. Para a maioria de nós, ele foi transformado em escolher as coisas para usar. Às vezes eu acho isso divertido, e às vezes eu só quero o algoritmo para fazer isso por mim. Conhece meu gosto melhor do que eu mesma.

Quando a inteligência artificial e os robôs assumiram tanto do nosso trabalho, de repente tivemos tempo para comer bem, dormir bem e passar tempo com outras pessoas. O conceito de hora do rush não faz sentido, já que o trabalho que fazemos pode ser feito a qualquer momento. Eu realmente não sei se deveríamos chamá-lo de trabalho mais. É mais como tempo do pensar, tempo de criar e tempo de desenvolver.

Por um tempo, tudo se transformou em entretenimento e as pessoas não queriam se preocupar com problemas difíceis. Foi apenas no último minuto que descobrimos como usar todas essas novas tecnologias para melhores propósitos do que simplesmente matar o tempo.

Eles vivem vidas diferentes fora da cidade 

Minha maior preocupação é todas as pessoas que não vivem em nossa cidade. Aqueles que perdemos no caminho. Aqueles que decidiram que se tornou demais, toda essa tecnologia. Aqueles que se sentiam obsoletos e inúteis quando robôs e inteligência artificial assumiram grandes partes de nossos trabalhos. Aqueles que ficaram chateados com o sistema político e se voltaram contra ele. Eles vivem diferentes tipos de vida fora da cidade. Alguns formaram pequenas comunidades autônomas. Outros ficaram nas casas vazias e abandonadas em pequenas aldeias do século XIX.

De vez enquanto fico irritada com o fato de que não tenho privacidade. Não há onde eu possa ir e não ser registrada. Eu sei que, em algum lugar, tudo o que eu faço, penso e sonho é gravado. Só espero que ninguém use isso contra mim.

Tudo somado, é uma boa vida. Muito melhor do que o caminho que estávamos, onde ficou tão claro que não poderíamos continuar com o mesmo modelo de crescimento. Todas essas coisas terríveis aconteceram: doenças do estilo de vida, mudanças climáticas, crise de refugiados, degradação ambiental, cidades completamente congestionadas, poluição da água, poluição do ar, agitação social e desemprego. Perdemos muitas pessoas antes de percebermos que poderíamos fazer as coisas de maneira diferente.

(Via WEF)

Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

Compartilhe:
Classifique: